Bancos devem se preparar para uma evolução rápida do Open Banking

blog-sinqia-open-banking.jpg

Relatório Mundial de Bancos de Varejo 2019 afirma que instituições tradicionais devem colaborar cada vez mais com startups para proporcionar experiências excepcionais aos clientes como forma de preservar a relevância.

Enquanto ainda se discute a regulação do Open Banking, surge o alerta de que o conceito pode ser ultrapassado rapidamente. Agora já se fala em Open X. Este foi um dos insights passados pelo Relatório Mundial de Bancos de Varejo 2019. O estudo foi divulgado recentemente pela Capgemini e pela Efma. Uma de suas conclusões é de que os bancos estão lutando para oferecer experiências cada vez mais positivas à medida que os clientes exigem serviços bancários cada vez mais abrangentes e personalizados.

Em um comunicado publicado no portal Business Wire, o CEO da Unidade de Negócios Estratégicos de Serviços Financeiros da Capgemini, Anirban Bose, explica que, em uma era de expectativas crescentes dos consumidores, os bancos são desafiados a oferecer a seus clientes uma experiência envolvente e consistente em todos os canais, sejam filiais, web ou dispositivos móveis.

“Assim eles evoluem da abordagem do Open Banking para a mentalidade do Open X, na qual os bancos e os novos players não tradicionais se unem para fornecer serviços bancários que se integram às experiências digitais”, disse.

"Os bancos que identificarem suas principais capacidades e, em seguida, buscarem parcerias com fintechs e outros setores de negócios para aprimorar suas ofertas em outras áreas serão os mais bem-sucedidos ", completou.

Os responsáveis pelo trabalho recomendam que para se tornar um provedor de serviços eficiente liderado pela experiência na era Open X, os bancos precisam escolher estrategicamente parceiros que complementem portfólios de produtos, aprimorem a prestação de serviços, aumentem as vendas e trabalhem em colaboração. Ao alavancar a colaboração eficaz e ao mesmo tempo maximizar as fortalezas tradicionais, os bancos podem criar uma poderosa vantagem na era do Open X.

"Embora a adoção do banco aberto tenha sido um pouco lenta, ela e sua evolução para o Open X são as melhores maneiras de os bancos competirem no cenário de serviços financeiros cada vez mais lotado e diversificado", disse Vincent Bastid, secretário geral da Efma. A entidade é uma organização global com mais de 3.300 marcas parceiras em 130 países, cujo objetivo é fornecer informações de qualidade para ajudar bancos e companhias de seguros a tomar as decisões corretas para promover a inovação e impulsionar sua transformação.

 "Open X é como os bancos fornecerão a experiência do cliente no futuro, e não se preparar para isso agora resultará em oportunidades perdidas e em menor participação de mercado", concluiu.

Concluindo, o trabalho afirma que mudar para o Open X significa que os bancos precisarão mudar a maneira como abordam os fundamentos de seus negócios. O Relatório defende que os bancos precisam deixar de pensar em produtos distintos para se concentrar em oferecer uma ótima experiência geral aos seus clientes. O documento também defende que os bancos precisam mudar de uma mentalidade de conformidade única para uma abordagem orientada a dados visando levar o setor ao Open X. Isso aumentará a excelência no uso de dados promovendo uma troca contínua de recursos, uma experiência aprimorada para os clientes e inovação acelerada de produtos.

Com soluções modernas para as principais áreas de atuação dos bancos como Conta Corrente, Crédito, Recebíveis, Tesouraria e Investimentos, Cobrança, SPB e área Regulatória, a Sinqia está pronta para ser o parceiro ideal dos bancos na transição para o Open Banking, Open X e todas as demais tendências que surgirem.

Dê um passo a frente e entre em contato com a Sinqia ainda hoje.  

Otávio Barros