Compartilhamento de dados no sistema financeiro exige cinco princípios para inovação com segurança

2019.09.05_compartilhamento-de-dados-no-sistema-financeiro.png

Instituição que defende o acesso seguro e conveniente de informações a consumidores e negócios define as principais condições para um ecossistema mais aberto e conectado.

A Financial Data Exchange (FDX), organização dedicada a unificar o setor financeiro em torno de um padrão comum, interoperável e isento de royalties, para acesso seguro e conveniente a consumidores e negócios de seus dados financeiros, publicou no final de agosto o white paper “Os Cinco Princípios do Compartilhamento de Dados”.

O documento tem o objetivo de fornecer as diretrizes sobre os elementos essenciais de uma abordagem segura e transparente do consumidor ao compartilhamento de dados financeiros. O estudo foi elaborado com a participação de formadores de opinião, bem como por entidades reguladoras e órgãos de padrões mundiais.

Segundo este colegiado os cinco princípios são: 

Controle: os consumidores devem poder conceder, modificar e revogar facilmente o acesso a seus dados financeiros para aplicativos ou serviços que desejam usar.

Acesso: os proprietários da conta devem ter acesso aos dados e a capacidade de determinar quem terá acesso aos dados.

Transparência: os indivíduos que usam serviços financeiros devem saber como, quando e com que finalidade seus dados são usados e saber a quem eles têm permissão.

Rastreabilidade: todas as transferências de dados devem ser rastreáveis. Os consumidores devem ter uma visão completa de todas as partes envolvidas no fluxo de compartilhamento de dados.

Segurança: Os provedores de serviços precisam garantir a segurança e a privacidade dos dados durante o acesso e o transporte e quando esses dados estão em repouso.

Em comunicado enviado à imprensa, o diretor da FDX, Don Cardinal afirmou que os consumidores devem ter o poder de aproveitar e se beneficiar de seus dados financeiros, que têm a capacidade de melhorar as decisões financeiras e a conveniência.

"Acreditamos que esses princípios protegerão os consumidores e são a base sobre a qual qualquer compartilhamento de dados deve ocorrer", disse.

Recentemente a FDX recebeu oito novos membros, elevando a associação a um total de 55 organizações que abrangem todo o ecossistema de serviços financeiros, desde instituições bancárias tradicionais até agregadores de dados, processadores bancários e fintechs.

Os membros mais novos incluem: American Bankers Association (ABA), Blanc Labs, Flinks, Mastercard, Mountain America FCU, Principal Life Insurance Company, SunTrust e Visa. O conselho de administração da FDX inclui Bank of America, BB&T, Capital One, Charles Schwab , Citigroup, Envestnet | Yodlee, Experian, Fannie Mae, Fidelity Investments, Finicity, Fiserv, FS-ISAC, Intuit, JPMorgan Chase, Plaid, PNC Bank, NA, Quicken Loans, SIFMA, TD Bank, TCH, USAA, EUA Bank, Wells Fargo e Xero.

Don Cardinal afirma que atualmente existe muito foco global no compartilhamento de dados seguro e transparente, onde o consumidor está no controle e que a preocupação da entidade é educar o setor sobre os benefícios de uma estrutura comum de consumo.

Por conhecer o setor financeiro como poucas instituições no país, a Sinqia está em posição privilegiada no sentido de antecipar as mudanças e movimentações no setor. O compartilhamento de dados será, sem dúvida, a fonte das maiores transformações nesta indústria em breve. A Sinqia oferece as soluções mais modernas para as principais áreas de atuação dos bancos, tais como Conta Corrente, Crédito, Recebíveis, Tesouraria e Investimentos, Cobrança, SPB e Regulatório (Bacen JUD, CCS, EFD-Reinf, e-Financeira).

Não espera mais. Entre em contato com a Sinqia e vamos falar sobre oportunidades e riscos do compartilhamento de dados!

Otávio Barros