Desafio dos bancos é se aproximar do ser único que cada cliente é.

sinqia-desafio_bancos.jpg

Em palestra no CIAB FEBRABAN 2019, Octavio de Lazari Júnior (Bradesco) falou sobre as perspectivas para as instituições financeiras na era digital, argumentando que a tecnologia deve levar a um atendimento cada vez mais personalizado.

 

Enquanto a maior parte das atenções estão voltadas para o funcionamento e o potencial de transformação existente em cada nova tecnologia, se faz necessária uma observação por outro ângulo tentando enxergar para o que cada uma delas se destina. Foi isso o que fez o diretor-presidente do Banco Bradesco, Octavio de Lazari Junior, ao participar do painel “O Banco da Era Digital”, juntamente com o presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal, durante o CIAB FEBRABAN 2019.

Entre várias reflexões e apresentações de estratégias escolhidas pela instituição que dirige, o executivo declarou que “o maior desafio para os bancos é entender como eles podem se aproximar deste ser único que cada cliente é”.

De acordo com ele, este entendimento é o que levará não só as instituições financeiras, mas todas as empresas a encontrar caminhos para responder às reais necessidades destes clientes.

Neste sentido, Lazari falou a respeito da estratégia do Bradesco com a criação do banco digital Next. Segundo reportagem publicada pelo portal Convergência Digital, ele declarou que o Next chega para o público dos millennials, formado por pessoas que querem jornada nova, que têm preocupação não com o produto, mas com a experiência. Clientes que vão, por exemplo, chamar Uber pelo Next ou encomendar refeições pelo serviço.

Com essa característica, o banco digital do Bradesco está ativando quase nove mil novas contas por dia, somando atualmente 1,5 milhão de clientes, de acordo com o Executivo.

Durante a palestra, Lazari aponta para a evolução no jeito de pensar e desenvolver as ofertas da instituição, passando de um olhar focado em produtos para uma busca com prioridade na melhor experiência para o cliente. A ideia é de que o banco seja, na verdade, um realizador de sonhos.

Para isso, foi essencial o desenvolvimento de uma arquitetura de TI adaptável que permitisse a integração com diversos parceiros que se conectam com o banco por meio de interface de programação de aplicativos (APIs).

Ele finaliza explicando que o Next não vai substituir a operação tradicional, pois existe espaço para os dois modelos de negócio. Em sua avaliação, as agências físicas vão mudar de perfil enquanto a área de inteligência vai aproveitar as novidades e tendências do mundo digital para enriquecer a experiência do cliente com o banco tradicional.

Por sua vez, o presidente da FEBRABAN, Murilo Portugal, enfatizou que a regulação para o funcionamento da internet 5G e a regulação da estrutura para o funcionamento dos pagamentos instantâneos no país devem acelerar as transformações na indústria financeira nos próximos anos.

Antecipar as mudanças e movimentações do setor financeiro é uma das principais missões da Sinqia. Para isso, colocamos à disposição de nossos parceiros as soluções mais modernas para a prestação de serviços e produtos como: conta corrente, crédito, recebíveis, tesouraria e investimentos, entre outros.

Vamos descobrir juntos quais são seus clientes e encantá-los!
Entre em contato.

Otávio Barros