Financiamento de energia solar se consolida como grande oportunidade para setor de consórcio

img-blog.jpg

Oferta de recursos financeiros para auxiliar montagem de estrutura de geração fotovoltaica em pequenas e médias empresas, assim como em residências já possui mais de 70 iniciativas e é um segmento que está só no início.

O excessivo aumento nas tarifas de energia elétrica que pressiona o orçamento tanto de famílias como das empresas, combinado com a forte redução de mais de 85% no custo da tecnologia solar fotovoltaica desde 2010 e os apelos mundiais em favor da sustentabilidade tem proporcionado uma verdadeira tempestade perfeita que impulsiona o crescimento da geração deste tipo de energia no Brasil. Prova disso é que o país acabou de atingir a marca histórica de 1 gigawatt (GW) de potência instalada segundo dados de agosto da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

Mas este é só o começo segundo apresentação feita pelo Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia, Reive Barros, durante 5ª edição da InterSolar South America, maior feira da América do Sul para o setor solar, realizada no mês de agosto em São Paulo.

Uma reportagem feita pelo portal da própria ABSOLAR informa que na ocasião ele fez a projeção de que a geração distribuída pode atingir 12 GW em capacidade instalada, atraindo R$ 60 bilhões em investimentos com a estimativa de que o setor ganhe 1,35 milhão de novos adotantes do sistema até 2027.

São exatamente estas projeções que apontam para uma grande oportunidade que se abre para o setor de consórcios já que a democratização do acesso a esta tecnologia exigirá um aumento significativo da oferta de opções de financiamento.

Muitas empresas já identificaram este filão e, segundo notícia publicada pelo portal Ambiente Energia, o país já conta atualmente com mais de 70 iniciativas voltadas para prestar este serviço entre bancos públicos, instituições privadas e cooperativas financeiras. Mesmo assim parece ser apenas um estágio embrionário para o surgimento de um forte nicho de mercado.

A ‘Primeira Pesquisa Nacional Sobre Energia Solar Fotovoltaica e os Pequenos Negócios’, realizada pelo Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), em parceria com a ABSOLAR e a Fundação Seade revelou que dos empresários que já possuem o sistema fotovoltaico mais da metade (60%) pretende investir mais em energias renováveis, sendo que, desses, 47,5% na fonte solar fotovoltaica.

Em matéria sobre o estudo, o blog Energia Virtual informa que foram ouvidos 3.199 empresários de Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) dos 26 Estados e do Distrito Federal, que atuam nos quatro principais setores produtivos: agropecuária, indústria de transformação, comércio e serviços, no período de 14 de maio a 15 de julho de 2019.

Do total de entrevistados, apenas 0,1% das Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP) já instalaram o sistema de geração distribuída solar fotovoltaica. Entre esses, mais da metade (51,3%) investiram recursos próprios na implantação.

Na avaliação dos responsáveis pelo estudo, os resultados evidenciam um enorme potencial para expansão do uso da energia solar fotovoltaica no Brasil por meio dos pequenos negócios, desde que superados os principais obstáculos identificados: informação e recursos para investimento.

A gerente do Centro Sebrae de Sustentabilidade (CSS), Suênia Sousa, disse que a pesquisa poderá servir como referência para as políticas públicas e privadas, que poderão viabilizar a ampliação do uso desta fonte de energia renovável, limpa e sustentável nos pequenos negócios, nas residências e nas demais instituições do país.

O financiamento à aquisição de estrutura para geração de energia solar se configura em uma rara oportunidade de obter resultados extremamente positivos nos negócios, colaborando com uma causa social das mais relevantes para este momento no planeta e ainda ajudando pessoas e empresas a conquistarem benefícios palpáveis.

Com soluções que integram todos os processos operacionais, a Sinqia permite às administradoras de consórcio desenvolverem projetos de atuação para aproveitar este tipo de oportunidade alinhando operação e estratégia sem precisar se preocupar com as demandas legais da iniciativa.

Entre em contato e vamos financiar juntos energia limpa para o planeta.

Otávio Barros