Plano familiar e reforma devem dobrar participantes em previdência fechada até 2022.

sinqia-plano_familiar.jpg

Especialistas consideram que estes dois fatores criarão uma janela de oportunidades que não pode ser desperdiçada pelas empresas do setor que somou R$ 900 bilhões em ativos em 2018.

Enquanto esquenta a cada dia a temperatura no Congresso Nacional e nos outros fóruns de debate a respeito do projeto de Reforma da Previdência, há quem esteja otimista com toda essa agitação em torno do tema.

A Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp) divulgou recentemente um posicionamento no qual atribui à reforma um papel fundamental na projeção de que o segmento tenha o dobro de participantes até 2022. Neste caso, o número de pessoas inseridas no setor passaria dos atuais 3,4 milhões para um total de 7 milhões.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal DCI, a entidade, este desempenho terá como colunas de sustentação a reforma da previdência e o crescimento do novo plano familiar, lançado em 2018.

A avaliação é de que por enquanto muitos fundos ainda estão surfando na onda de renda fixa, mas a melhora do País deve trazer maior apetite ao risco por parte dos gestores. Além disso, a expectativa é de que as discussões da reforma alimentam o setor e devem aumentar os ativos.

É uma janela de oportunidade que não podemos perder, afirma o presidente da associação, Luís Ricardo Martins.

No ano passado a previdência complementar fechada (fundos de pensão) somou R$ 900 bilhões em ativos, um aumento de 7,4% em relação ao registrado em 2017 (R$ 838 bilhões). Além disso, as Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPCs), por sua vez, encerraram 2018 com 12,22% de ganhos.

Com relação ao mérito das mudanças que estão sendo propostas no projeto da reforma da Previdência, a Abrap afirma ter preocupação com o artigo 40 que sugere abrir a gestão da previdência complementar do servidor público para entidades abertas (atualmente, os fundos para servidores são geridos apenas por entidades fechadas).

O presidente da associação afirma que este é um tema que incomoda e preocupa o setor na medida em que a estrutura de governança dessas entidades é muito diferente para que se possa promover concorrência.

Já a respeito do novo plano familiar, a projeção é de que até o final deste ano, cerca de 80 das 260 associadas da Abrapp tenham criado um plano próprio. O instrumento permite a adesão de familiares de até quarto grau de parentesco dos participantes.

Uma parcela de 81% dos trabalhadores brasileiros depende exclusivamente do INSS para a aposentadoria. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), que ouviu cerca de 2 mil funcionários de 100 empresas, dos mais diferentes níveis hierárquicos, de dez Estados em parceria com a Unicamp.

Trata-se de uma janela bastante ampla de oportunidades que exigirá estratégia, planejamento e ações inovadoras para aproveitar.

Com um amplo portfólio de instrumentos que aceleram a automação dos processos operacionais e o atendimento das áreas previdenciária, assistencial e financeira, a Sinqia é o parceiro ideal para suportar projetos que vislumbrem um aumento significativamente rápido do volume de participantes.

Entre em contato e vamos aproveitar juntos essas oportunidades!

Otávio Barros